Akita – Um Cão com Alma de Samurai

É difícil descrever a sensação que se sentimos ao se conhecer um cão da raça Akita. É um misto de curiosidade, de surpresa e, com toda certeza, de encantamento. A pelagem farta, a cabeça e cauda muito bem postadas, a imponência, o toque de arrogância oriental no olhar nos envia uma mensagem clara de autoridade e segurança nipônica. Ao mesmo tempo, consegue ser delicado como a flor de cerejeira com nossos filhos e familiares mais idosos e um feroz defensor de seu território contra estranhos.

O cão da raça Akita é um animal diferenciado. É um cão de companhia, mas que faz a guarda de nosso lar e de nossa família com maestria e sem nenhuma necessidade de adestramento para ataque ou defesa, apesar de ser aconselhável adestrá-lo para obediência. É um cão extremamente asseado e que não tem aquele cheiro característico de cachorro. Tem temperamento independente sem ser arredio, é muito inteligente e apegado ao dono, a família e ao território (a sua fidelidade é histórica) e o item mais marcante desta raça é ser muito silencioso na guarda, só latindo se algo o incomoda ou afeta a rotina da casa. O Akita é muito avesso a estranhos, mas sabe diferenciar o amigo de seu dono, e visitante constante, do visitante eventual.

O cão Akita não é um atleta nato, já conheci Akitas que adoravam correr com seus donos em parques ou trilhas, porém apenas como forma de agradar ou de acompanhar o seu mestre. Ele gosta de escolher um local da casa de onde pode observar o território todo, assim como ver onde estão os membros da família, só saindo de lá se chamado ou para conferir a segurança.

As características desta raça remontam séculos desde o seu país de origem, o Japão, mais precisamente o norte do país na província de Akita, região de Odate, daí o seu nome Akita Inu ou Cão de Akita. A raça já foi utilizada para caça, de pequenos animais até ursos Uezo, pelos samurais para combate e na defesa de suas propriedades e, finalmente, pelos senhores feudais, até o século XIX, para rinha, guarda de suas casas e símbolo de status e poder.

Até hoje no Japão é muito comum o costume de ao nascer uma criança a família ser presenteada com uma estátua de um Akita, ou um casal de Akitas, para lhe trazer sorte, prosperidade e proteção por toda a vida.

Conheci a raça Akita em novembro de 1990, em matéria especial de uma revista sobre Pets. Mas, a primeira vez que vi um Akita pessoalmente foi quando atendi uma cliente oriental no Jardim Europa em São Paulo. Foi ai que tudo aconteceu!

Uma senhora abriu a porta escoltada, sem enforcador e guia por um imenso Akita branco. O cão me olhou com uma calma oriental, como um samurai, frio, impávido, sem demonstrar emoção alguma, e mesmo assim, me passando a clara mensagem de que minha presença seria permitida desde que eu me comportasse segundo as regras da casa. Permaneci calmo, pois já havia lidado com cães de grande porte, fiquei na casa por algum tempo a trabalho sem ser incomodado pelo cão. A senhora falava com ele em idioma japonês, o que me deixou mais apaixonado, pois sempre adorei a cultura japonesa. O cão saia e voltava de vez em quando para me fiscalizar totalmente em silêncio.

Neste dia decidi: “Vou criar esta raça!”.

Gosto de mostrar para as pessoas, que o cachorro da raça Akita é um excelente companheiro para toda a família, inclusive os pequenos, pois também tenho filhas. São meigos, carinhosos, ciumentos com os que amam e com seu território. recebem bem nossos amigos e são arredios com estranhos, o que os torna excelentes cães de guarda tanto da casa quanto de todos que nela habitam, sem serem ostensivos como outras raças destinadas especialmente para esta função.

Mesmo depois de anos criando e convivendo com esta raça, não sei ainda identificar porque o cão Akita desperta tantas paixões e tanto mistério. Acredito que sua história singular, o país de onde veio, seu povo, sua cultura e sua língua, misturados ás histórias sobre gueixas, samurais, batalhas intermináveis e cheias de romantismo nos influencia neste prazer de saber sempre um pouco mais sobre este belo cão com alma de Samurai.

Caso um dia você deseje conhecer e, quem sabe ter um cão da raça Akita Inu em seu lar, leia muito, informe-se e pesquise sobre a raça. Em nenhuma raça, nem tudo são flores. No caso do cão da raça Akita, como exemplo, ocorrem duas mudas de pêlo por ano, uma no inverno outra no verão, o que, para algumas pessoas, é um item complicado. Outro fato a se levar em consideração: O cão Akita é muito territorial e não se relaciona bem com outras raças, principalmente do mesmo sexo.

Mas tenha certeza de uma coisa: se você se apaixonar por esta raça, assim como eu, duvido que consiga se apaixonar por outra.

Um forte abraço a todos!

Roberto Bezerra da Silva

Criador e Proprietário do Canil matsuyama

Visite o site do canil:

http://www.canilmatsuyama.com.br 

Matéria escrita para a revista Conexão São Paulo com exclusividade, em março de 2011.

Visite:

http://www.revistaconexao.com.br/

 

http://www.revistaconexao.com.br/revista/05/