Estudo do Pedigree

ESTUDO DO PEDIGREE

LINHAGEM – CIO – ACASALAMENTO

O estudo do pedigree antes do acasalamento é importante para a criação que se preocupa com a qualidade da raça. Mesmo não sendo possível prever todos os resultados da criação de cães pois não se pode controlar a natureza, no caso, o nascimento dos filhotes, deve-se, no mínimo, trabalhar com os fatos, as características do animais.

Por exemplo, quem pretende iniciar a criação com uma cadela que já possui, pode não estar tomando a decisão correta, especialmente se a idéia é produzir filhotes de qualidade para exposições. Quem tiver uma cadela com defeitos evidentes, deve descartá-la da criação e começar com um animal em excelentes condições, pois será menos dispendioso.

O ideal é iniciar com uma que já tenha dado cria e que, embora não acumule muitos sucessos em exposição, descenda de uma linhagem de alta qualidade, de vencedores. Via de regra, quando uma cadela de focinho alongado e dorso curto cruza com um macho com características inversas, ou seja, um focinho curto e um dorso alongado, não significa que os filhotes exibirão padrões físicos intermediários.

O melhor é sempre fazer acasalamentos entre indivíduos cujas características estejam dentro dos padrões ideais. Algumas raças também exigem cuidado especial com a cor. Em certos casos a mistura de cor produz resultados ruins. Conforme a raça, as regras de acasalamento devem ser seguidas com certo rigor.

O pedigree de um animal de raça pura, quando é apenas uma lista de nomes, tem valor limitado. Valiosas são as informações a respeito dos indivíduos mencionados. Pedigrees muito extensos são na realidade de interesse apenas histórico. Na prática, vale mais conhecer as características dos pais, avós e bisavós. A saúde e o temperamento dos cães tem tanta importância quanto a aparência física.

Muitos dos grandes criadores preferem guardar na memória e testemunhar a respeito dessas características, mas é recomendável colocar as informações em arquivos confiáveis. Registros dos irmãos e irmãs de uma ninhada permitem que se amplie o espectro de observação da linhagem e se tenha um quadro mais completo das qualidades provavelmente herdadas pelos cães, que deverão ser transmitidas aos descendentes.

Essas informações arquivadas devem compor um dossiê de cada cão, que será utilizado em um programa de criação. Devem ser incluídos dados como pedigree, vacinações, fotos, datas do cio e de acasalamento, ou seja , o máximo de informações.

LINHAGEM

Dois métodos complementares de fixar caracteres em um canil são amplamente usados: cruzamento fora da linhagem e o cruzamento consanguíneo (inbreeding). Na realidade eles são graus diferentes da prática de acasalar animais que têm parentesco entre si. O cruzamento fora da linhagem para um cão notável significa produzir animais em cujo pedigree aquele indivíduo aparece repetidamente tanto do lado do macho quanto da fêmea.

É claro que é perfeitamente possível o cruzamento fora da linhagem de vários indivíduos de uma só vez.

O cruzamento consanguíneo é uma intensificação do processo, usando acasalamentos de pai e filha ou irmão e irmã. Isto tem o efeito de reduzir as variáveis herdadas e fixar tanto as boas como as más qualidades em um alto grau. Qualquer um que faça cruzamentos consanguíneo deve estar preparado para escolher friamente qualquer resultado que não se equiparam com o alto padrão exigido.

CIO

O primeiro cio de uma cadela pode variar bastante, interfere o tipo da raça ou o clima da região onde vive, normalmente o ciclo é de seis meses, mas também pode variar. Se o intervalo for muito menor, é possível que haja algum desequilíbrio hormonal que exige cuidados veterinários.

O primeiro cio pode ocorrer dos 6 aos 18 meses. Nenhuma cadela deve ser acasalada até que seu crescimento esteja completo, e isto geralmente significa antes do segundo cio ou, no caso de raças de maturidade tardia, no terceiro cio.

Não é recomendável para saúde da fêmea acasalar em todos os cios. Uma ninhada por ano é melhor tanto para a saúde da cadela como para o vigor dos filhotes. A cadela durante o cio exige constante vigilância para se evitar uma união indesejável.

Ela deve ser sempre exercitada com a guia, pois mesmo um animal acostumado à obediência pode escapar e seguir seus instintos sexuais. Como seu odor é atraente para os cães, existem produtos veterinários que inibe o cheiro. Uma cadela no cio urina com mais frequência e isto permite que os machos acompanhem o cheiro até sua porta.

ACASALAMENTO

As fêmeas usualmente atingem a maturidade sexual (indicada pelo primeiro cio) por volta dos oito ou nove meses de idade, mas isso pode ocorrer tão cedo quanto aos seis meses quanto se retardar até os treze meses. O ciclo médio do cio tem uma duração de vinte ou vinte e um dias, ocorrendo aproximadamente cada seis meses.

Por cerca de cinco dias anteriores ao cio, a fêmea geralmente se mostra inquieta e demonstra aumento de apetite. A vulva começa a apresentar um entumescimento. A secreção, que é de um vermelho vivo a princípio e que gradualmente vai assumindo uma coloração rósea ou cor da palha, aumenta em volume por vários dias e então começa a diminuir aos poucos até que, afinal, cessa completamente.

A secreção vaginal é sujeita a grande variação: em algumas cadelas é bem abundante; em outras, pode até nem aparecer, em algumas, é tão diminuta que quase nem se percebe.

Cerca de oito ou nove dias após o primeiro aparecimento da secreção, a fêmea torna-se bastante acessível a outros cães, mas rejeitará o acasalamento. No período compreendido entre o décimo ou décimo-primeiro dia (quando a secreção virtualmente cessou e a vulva desinchou) e o décimo-sétimo ou décimo oitavo, a fêmea aceitará os machos e estará pronta para a concepção.

O óvulo (célula ovariana), que tem origem nos ovários da fêmea, é lançado no oviducto quase no final do período, usualmente entre o décimo-sexto e o décimo-sétimo dia. Do décimo oitavo dia até o final do ciclo, a fêmea é ainda atraente aos machos, mas ela rejeitará as suas investidas.

O período do cio é, contudo, bastante variável: em algumas fêmeas a secreção vaginal cessa e o período fértil se inicia aos quatro dias; em outras, a secreção prossegue por todo o período e a fêmea não aceitará os machos até o décimo- sétimo dia ou mesmo depois disso.

O macho, em contraste com a fêmea, atinge a maturidade entre os seis e oito meses de idade, é capaz de acasalar-se em qualquer época durante o ano todo. O pênis do cão tem um alargamento bulbiforme em sua base e, tal como o pênis de grande número de mamíferos, contém um osso.

Quando ocorre o acasalamento, a pressão no pênis causa uma ação reflexa que enche o alargamento bulbiforme de sangue, dilatando-o cerca de cinco vezes o seu tamanho normal quando introduzido na fêmea. Isso mantém, ou prende, os dois animais unidos.

Após a ejaculação, os animais permanecem presos por quinze a trinta minutos, mas eles tanto podem separar-se rapidamente como permanecer presos por uma hora ou mais, dependendo do período de tempo que levar para que o sangue seja drenado no bulbo, neste período não é necessário a intervenção do homem, naturalmente os dois se soltarão.

 

Clube do Akita – O Guardião Japonês