A herança de um caráter é independente da herança de outro caráter.

A partir de então os descobrimentos se sucederam em cadeia até chegar ao estado atual das coisas.

Em 1902, Sutton, relacionou o comportamento dos cromossomas com o que Mendel chamava fatores hereditários.

O primeiro prêmio Nobel sobre genética, Thomas Hunt Morgan, estabeleceu a teoria cromossômica, a herança.

Provou que: os gens, antes chamados fatores mendelianos, se localizam nos cromossomas.

Os gens programam a informação do que o indivíduo pode chegar a ser, porém o meio ambiente determina o que o indivíduo chegará a ser e o homem tem capacidade para selecionar o que o convém.

Assim sendo: no desenvolvimento de um animal há que se ter em conta três elementos: a herança, a seleção e o meio ambiente.

A contaminação ambiental, as deficiências na alimentação, o excesso de umidade o exercício inadequado ou a falta dele, os agentes infecciosos…, impedem que a informação genética de um indivíduo se manifeste tal como estava codificada em seus gens.

Conclusão: Completamente tudo no cão, todos e cada um dos caracteres, são herdados.

Terminologia genética.

Para compreendermos melhor seria conveniente que definíssemos alguns termos:

Nos autossomas estão contidos os gens que em mesmo número, em ambos os sexos, cor de pelos, aparelho digestivo…, se agrupam em células diplóides. Nos cromossomas sexuais estão contidos os gens que determinam o sexo. XX nas fêmeas e XY nos machos. Nos cromossomas sexuais se encontram, além de outros gens ligados ao sexo que dão origem ao dimorfismo sexual: Maior altura e tamanho nos machos, diferenças de caráter…, são os responsáveis das características sexuais secundarias.

Também são responsáveis por algumas doenças hereditárias ligadas ao sexo, como por exemplo: a hemofilia que ocorre no cão é uma variante da humana. A fêmea a transmite, porém se manifesta somente no macho. Se manifesta no cromossoma X e tem caráter recessivo…, se agrupam em células aplóides.

O número de gens que contem um cromossoma é variável. Se calculam mais de 100.000 gens nos canídeos.

Temos que ter em conta que, os gens:

Se localizam nos cromossomas.

São os responsáveis pelas características de cada indivíduo.

São as vias pelas quais transcorre a herança.

Há que se ter em conta que na poligenia se soma a ação dos gens, é cumulativa. Um exemplo: a intensidade da cor do manto é devida a combinação de muitos gens.

Na conformação alguns grupos de poligenes são independentes de outros, por exemplo: o tamanho das patas é independente da corpulência do cão. Pode-se obter cães de similar corpulência com patas de diferente tamanho.

Pode-se dizer que existem poligenes da intensidade do vermelho ou do azul, do tamanho do corpo…

Se durante várias gerações se cruza ininterruptamente , os descendentes se parecerão cada vez mais entre si no aspecto e comportamento.

Cada raça está definida dentro de um standard que controla seu fenótipo, porém dentro do próprio tipo da raça pode haver, e de fato há. diferenças de interpretação de onde surgem diversos sub-tipos que são a visão particular do standard pelos criadores.

Estes sub-tipos geralmente se identificam em linhas de sangue.

Artigo escrito por Amalio Lasheras