O envenenamento de cães, principalmente filhotes por plantas ornamentais tóxicas em nossas casas ou mesmo na rua tem aumentado bastante nos últimos tempos. Para ajudar a prevenir que seu cachorro se intoxique, separamos uma lista com algumas das plantas tóxicas para cães mais comuns em casas e apartamentos no Brasil.

Plantas Tóxicas para animais

Plantas Tóxicas
Algumas plantas tóxicas de jardim.

Seja pelo grande número de belos jardins e vasos que mantemos em nossas residências, seja pelo total desconhecimento do mal que elas podem causar aos nossos amados amigos peludos, este artigo tem o intuito de ajudar na identificação destes perigos aos animais domésticos.


FATORES PARA QUE OCORRA A INTOXICAÇÃO:

1. Idade (filhotes são mais susceptíveis pela curiosidade)
2. Fastio
3. Mudanças à sua volta

FONTE DE PLANTAS TÓXICAS:

1. LOCALIZAÇÃO

PLANTAS DE VASO:

• Dieffenbachia picta (comigo ninguém pode)
• Monstera sp (costela de adão, dragão fedorento, 7facadas)
• Alocasia sp (orelha de elefante, orelha de burro, pulmãode aço)
• Nerium oleander (espirradeira)

JARDINS E QUINTAIS:

• Ricinus comunis (mamona)
• Iris sp
• Tulipa sp
• Rhododendron sp (azaléa)
• Arbus precatorius (olho de cabra)
• Euphorbia pulcherrina
• Philodendron sp (cipó-imbé, barra de macaco,filodendro)
• Nicotiana tabacum
• Narcisus sp

PLANTAS QUE CAUSAM GASTRITE E ESTOMATITE

• Amaryllis sp
• Rhododendron sp
• Tulipa sp
• Narcisus sp
• Iris sp
• Euphorbia pulcherrina (bico de papagaio)
* a azaléa produz uma toxina (antrometotoxina); uma pequenaquantidade é capaz de provocar a intoxicação que ocorreapós 6 horas. Há um aumento de defecação(não é diarréia), porém dificilmente causa amorte.
Tratamento: sintomático + fluidoterapia

PLANTAS QUE CAUSAM GASTRITE E ENTERITE

• Abrus precatorius (toxina é a abrina)
• Ricinus comunis (toxina é a ricina)
* o Abrus precatorius possui a toxina (uma proteína) maispotente conhecida, onde meia semente é capaz de matar uma pessoa. Oanimal apresenta diarréia catarral hemorrágica intensa,ocorrendo óbito após 24h se não tratado.
Tratamento: lavagem gástrica + protetor de mucosa

PLANTAS QUE CAUSAM ESTOMATITE E GLOSSITE

• Dieffenbachia picta
• Monstera sp
• Alocasia sp
• Philodendron sp
* a toxina é uma substância semelhante à umaproteína, que promove liberação de histamina pelosmastócitos. Pode promover edema de glote e o animal morrer porasfixia.
Tratamento: anti-histamínico + diurético

PLANTAS QUE ATUAM SOBRE O SNC

De uso lícito:
• Nicotina tabacum (princípio ativo= nicotina)
* age em receptores nicotínicos colinérgicos(ação semelhante ao curare). Em doses pequenas, provocaexcitação, tremores musculares e ataxia. Em doses altasprovoca depressão.
Tratamento: bloqueador ganglionar do tipo não despolarizante, queé um antagonista da nicotina quando o animal está excitado (ex:mecamelamina). Respiração artificial quando o animalestá na segunda fase ( fase de depressão ). É importanterealizar diagnóstico diferencial com intoxicação pororganofosforados, onde se usa atropina.
De uso ilícito:
• Datura stramonium (saia branca, trombeta)
Pricípio ativo: alcalóides tropânicos (escopolamina,niosciamina, atropina).
Atuam em receptores colinérgicos muscarínicos. Os sintomassão alucinações, delírios, secura dassecreções, taquicardia, midríase, pele seca e quente emeteorismo.
Tratamento: anticolinesterásico, antagonista colinérgico(neostigmina). Para auxílio diagnóstico, deve-se coletarurina, instilar no olho do camundongo e observar midríase.
• Cannabis sativa (maconha)
Princípio ativo: THC (tetrahidrocanabiol)
Os sintomas são: animal depressivo e às vezes agressivoquando estimulado, olhos “vidrados”, perda de noção deambiente.
Tratamento: estimulante inespecífico de SNC, pentileno tetrazol(0,25 mg/Kg) + anequetamina (analéptico respiratório).

PLANTAS DE AÇÃO CARDIOTÓXICA

• Digitalis purpura (dedaleira)
• Nerium oleander (espirradeira)
Princípio tóxico: glicosídeos cardioativos (aumentamos níveis de digoxina), atuam na bomba de NaK ATPase.
Os sintomas são: bradicardia, aumento da força decontração cardíaca, fibrilaçãocardíaca, com os bat. chegando perto de 20/min., a morte estápróxima.
Tratamento: antiarrítmico, procainamida (100-500 mg) , cloridrato depotássio (monitorar pelo ECG).

Intoxicação: o que fazer?

O melhor a fazer quando o cachorro tem contato com plantas tóxicas é limpar a boca dele com água corrente. Mas cuidado para não fazer ele engolir os resíduos. Assim, você retira quaisquer resquícios da planta ou de seiva que sobrou na boca dele. Não provoque vômito e não dê nada para o cão comer ou beber, nem água.

Em seguida, procure imediatamente um veterinário ou o centro de zoonoses mais próximo e não se esqueça de levar uma amostra ou uma foto da planta tóxica. É fundamental que ele saiba qual foi ingerida para poder escolher o melhor tratamento.

Administração – Clube do Akita

Veja também: Dicas e Dúvidas

Mais em Wikipédia: Plantas Tóxicas e Categoria de Plantas Tóxicas